23/10/2017 às 16h06

REUNIÃO DA COMISSÃO PROCESSANTE (CP) DO VEREADOR HOMERO MARCHESE.

Considerando que as preliminares trazidas na Defesa Prévia, não são procedentes. E que não tem a condição de impedir o regular processamento do feito;

Assessoria de Comunicação - carlosmariucci@cmm.pr.gov.br
CP decide prosseguir investigação sobre Marchese
A Comissão Processante (CP) que apura a denúncia por quebra de decoro do vereador Homero Marchese (PV) decidiu, por dois votos contra um, acatar a solicitação feita pelo Partido Verde (PV), de Maringá. Votaram a favor do prosseguimento das diligências e audiências necessárias os vereadores William Gentil (PTB) e Carlos Mariucci (PT). O vereador Chico Caiana (PTB) foi contrário à denúncia alegando não encontrar nas atitudes de Marchese a quebra de decoro parlamentar.  
O Vereador Carlos Mariucci disse que "Considerando que as preliminares trazidas na Defesa Prévia, não são procedentes. E que não tem a condição de impedir o regular processamento do feito; e Considerando que existe justa causa na denuncia apresentada, haja vista a fidelidade dos indícios e autoria. decidi por dar prosseguimento na CP até mesmo para que o vereador Homero possa esclarecer melhor os fatos para a população de Maringá".
A reunião foi acompanhada pelo advogado de Marchese, Valter Akira Ywazaki, que arrolou 26 testemunhas, uma delas moradora de Curitiba. Em função da quantidade de depoentes sugeridos pela defesa, a CP estabeleceu o prazo de 24 horas para apresentação da justificativa da necessidade de cada depoimento. Além disso, também alertou que a Câmara Municipal não dispõe de recursos para subsidiar os gastos com depoentes fora de Maringá.   A próxima reunião da CP foi agendada para esta quarta-feira (25), às 14 horas, no Plenário.