25/06/2013 às 17h03

Mariucci quer Conselho Municipal de Transportes Públicos deliberativo

Em 2002, governo José Cláudio (PT) tentou criar conselho deliberativo para os Transportes Públicos, mas Câmara optou pelo caráter consultivo. Atualmente órgão só existe no papel

Assessoria de Comunicação - carlosmariucci@cmm.pr.gov.br
Discurso do vereador Carlos Mariucci (PT), terça-feira, 25 de junho de 2013
“Quinta-feira passada (20) vivemos um momento histórico no salão paroquial da Santo Antônio, por causa da presença dos manifestantes e a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Coletivo.

Quero agradecer a comunidade da Santo Antônio que soube entender os méritos da manifestação. Foi maravilhoso vivenciar a criação da CPI.  

O mérito dessa conquista deve se dividido entre os manifestantes e esta nova câmara, que está demonstrando que sabe ouvir a sociedade e dá exemplos que não é mais submissa aos interesses particulares de alguns políticos que pensam que mandam em Maringá.

Senhor presidente, colegas vereadores e vereadoras, eu quero aproveitar a presença da comunidade e pedir que todos assinem comigo o Projeto de Lei que proíbe a dupla função dos motoristas de ônibus da TCCC.

É uma vergonha obrigar que o motorista faça cobrança enquanto dirige. Ele é motorista e não cobrador.
Eu peço que os senhores sejam solidários já que o povo clama por um transporte coletivo de qualidade. E isso passa pelo fim da dupla função.

Ainda sobre o transporte coletivo, digo que estamos vivendo um clamor pela democracia participativa. Não há mais espaço para a falsa democracia.

Por isso proponho publicamente que esta casa abra o debate para propormos que o Conselho Municipal de Transportes Públicos, que hoje só existe no papel, possa ser efetivamente implantado em Maringá.

No governo José Cláudio, em 2002, o conselho foi criado e, na época, o PT propôs que o conselho tivesse caráter deliberativo. 

Mas esta casa fez a modificação para que ele fosse apenas consultivo.  É o momento oportuno para efetivar o conselho e modificar a legislação para que ele se torne deliberativo.

Se isso acontecer, a sociedade é quem vai deliberar sobre as políticas públicas para o transporte coletivo.

Essa é a nossa proposta.  

Obrigado.